A alopecia androgênica é uma condição genética da queda de cabelo, e é a causa mais comum da queda de cabelo entre homens e mulheres. Na verdade, é a razão para até noventa e cinco por cento dos casos hoje em dia. Os outros cinco por cento podem ser atribuídos ao stress, doenças, medicamentos ou uma nutrição ruim.

A calvície de padrão feminino é a manifestação da alopecia androgênica nas mulheres. Ela é caracterizada por uma diminuição dos fios na área da coroa e radia em direção a diferentes sessões do couro cabeludo. Isso não resulta em entradas como na calvície de padrão masculino, nem cria uma queda de cabelo total no topo do couro cabeludo. Existem casos raros, contudo, nos quais a queda de cabelo lembra a calvície de padrão masculino. 

Que opções quanto a implantes capilares as mulheres possuem?

Existem duas opções de transplante capilar disponíveis para ambos, homens e mulheres. A primeira é o método de transplante de unidade folicular (FUT). Ele extrai uma tira de cabelo horizontal da área de doação localizada na porção mais baixa atrás da cabeça. O implante de pele é então dividido em pequenos implantes para que eles sejam implantados nas áreas calvas. A outra opção é a opção de transplante capilar conhecida como método de extração de unidade folicular (FUE). Ele coleta diretamente folículos capilares individuais da área de doação ou até mesmo de locais onde não há calvície. Estes folículos capilares são posicionados onde são necessários para criar cabelos mais espessos. Não há nenhum crescimento capilar que seja gerado através de nenhum dos procedimentos. O que ocorre é a movimentação dos folículos capilares pelo couro cabeludo.

Uma mulher pode ser uma boa candidata para um procedimento de implante capilar (transplante). Estes casos, contudo, são menos prováveis de ocorrer, se comparados aos que acontecem com os homens, devido à natureza da alopecia androgênica de uma mulher. A calvície de padrão feminino é geralmente caracterizada pela diminuição dos fios por todo o couro cabeludo. A área de doação não será capaz de fornecer folículos capilares, pois não há uma área estável por si dizer. É o couro cabeludo inteiro que está enfrentando a queda de cabelo, exibida através da diminuição da densidade dos fios ou de um caso de calvície difusa.  Note que procedimentos de transplante capilar apenas movem os folículos capilares no couro cabeludo. Nenhum cabelo novo é produzido. Estes folículos capilares podem ser coletados também de uma área sendo afetada pela di-hidrotestosterona (DHT), uma das principais razões para a queda de cabelo. Move-los para um outro lugar ainda assim resultaria na queda dos fios de cabelo pois o folículo capilar já está bloqueado pela DHT, impedido de receber nutrientes do fornecimento sanguíneo.

As mulheres que podem realmente se beneficiar de procedimentos de transplante capilar são aquelas que exibem uma calvície similar a calvície de padrão masculino. Isso forneceria ao cirurgião uma área de doação viável para, da qual, extrair folículos capilares saudáveis. As alopecias que não são hormonais, assim como a alopecia por tração, podem ser tratadas com a EUF devido ao isolamento da área calva. As mulheres que passaram por uma cirurgia cosmética também podem fazer um procedimento de transplante capilar para solucionar suas linhas capilares afetadas. As vitimas de trauma, seja devido a queimaduras ou acidentes que resultaram em cicatrizes, podem ser candidatas a este procedimento. Note, contudo, que não deve haver cicatrizes queloide no couro cabeludo de tais mulheres para que a cirurgia seja bem sucedida. Elas também devem ter cabelo o suficiente para ser colhido para cobrir estas áreas calvas.