A queda de cabelo é uma possibilidade que muitos homens podem ter que enfrentar em algum ponto de suas vidas. Ela não está limitada a um certo tipo de condição. Na verdade, existem muitas circunstâncias que podem fazer com que ela apareça no couro cabeludo de um homem.

A mais comum entre todas estas condições é a alopecia androgênica, ou calvície de padrão masculino. Ela é o resultado da combinação entra a di-hidrotestosterona (DHT) com os receptores andrógenos dos folículos capilares, fazendo com que eles encolham devido a serem bloqueados e não receberem seu suprimento sanguíneo rico em nutrientes. A DHT por outro lado, é formada pela fusão da testosterona e da enzima 5-alpha-redutase. Ela se manifesta inicialmente no couro cabeludo através de entradas nas regiões temporais. A área frontal sobre a testa e a diminuição dos fios na região do vértice seguem esta progressão. Por fim, o topo inteiro do couro cabeludo não terá mais cabelo. As únicas áreas que terão cobertura serão os lados mais baixos e a parte de trás da cabeça.

Uma outra condição da queda de cabelo é a alopecia areata. Ela é ocasionada devido ao corpo confundir os folículos capilares com corpos estranhos, enviando assim glóbulos brancos para atacá-los. O couro cabeludo irá exibir áreas calvas e redondas que aparecerão em locais aleatórios que podem ser alterados de forma inesperada. Isso pode progredir para uma condição mais severa chamada de alopecia areata totalis, ou a queda dos cabelos da cabeça toda. Uma outra versão disso é a alopecia areata universal, ou a ausência de cabelo no corpo todo. Não se sabe muito sobre o porquê disso ocorrer. O que é certo é que esta é uma condição autoimune, que pode ou não ser desencadeada por situações estressantes.

As principais causas da calvície nos homens

 

O eflúvio telógeno é uma forma de queda de cabelo relacionada ao stress, ocasionada por circunstâncias traumáticas como uma importante cirurgia, um acidente, divórcio ou a perda de um ente querido. Isso causa uma rápida alteração entre as fases anágenas e telógenas do ciclo de crescimento capilar, resultando em um período de inatividade prolongado no couro cabeludo. O cabelo então cai em tufos, contudo, há uma boa chance de que ele cresça novamente por si só cerca de seis meses após a situação estressante.

A alopecia por tração é o resultado de puxões anormais, até mesmo os bem fortes e contínuos, nos fios de cabelo por um período de tempo prolongado. Um exemplo disso é estilizar os cabelos em excesso com o uso de tranças embutidas ou rabos de cavalo. O cabelo cai em tufos no local do trauma.

O stress, doenças, medicamentos e a deficiência vitamínica podem todos levar a queda de cabelo também. Ser capaz de identificar de forma apropriada a condição da calvície é a chave para receber o tratamento apropriado. É aconselhável que se procure a opinião de um expert antes de buscar qualquer solução. Um diagnóstico preciso de um médico qualificado é a chave para ser capaz de receber o tratamento apropriado.

Existem aqueles que usam medicamentos para tratar a sua alopecia. Enquanto que isso pode ser eficaz, até certo ponto, seria útil lembrar que nem toda condição da queda de cabelo é receptiva quanto ao uso de remédios. O Propecia, por exemplo, é mais efetivo para a alopecia androgênica. A razão é que ele é um inibidor de 5-alpha-redutase. Isso significa que esta medicação só pode tratar aquelas condições da calvície que envolvem a enzima 5-alpha-redutase. Ele evita que ela se combine com a testosterona para criar a DHT.

Como mencionado anteriormente, a calvície de padrão masculino é a única condição da queda de cabelo ocasionada pela presença de DHT no sistema. Tomar o Propecia para solucionar outras formas de calvície não seria apenas uma perda de tempo como também de dinheiro. Além disso, ela pode causar uma variedade de efeitos colaterais sexuais que podem continuar a existir apesar da interrupção de seu uso.